fbpx

Como identificar uma proposta de trabalho ruim

Clientes e propostas ruins aparecem para tradutores de todos os níveis, mas tradutores iniciantes têm mais chances de encontrar e aceitar ambos. A falta de experiência no contato com clientes e a falta de conhecimento sobre os padrões de negociação e acordos podem levar tradutores iniciantes a aceitarem propostas ruins e até maliciosas.

Neste texto, não abordaremos o que é bom ou ruim financeiramente. Acreditamos que isso depende de cada tradutor e seu contexto de vida, e já temos um guia de como definir o seu valor mínimo de trabalho.

Mas em geral, ofertas de trabalho ruins seguem padrões, e esses são alguns aos quais você deve se atentar quando estiver negociando um serviço.

Falta de contrato

A ausência de um contrato entre você e seu cliente é ruim. Algumas vezes, até empresas grandes que estão começando a contratar serviços de tradução podem não te oferecer um contrato de início.

Caso não te ofereçam, pergunte se há algum contrato padrão de prestação de serviços que a empresa assina com demais prestadores. Se houver, veja se é preciso ajustar alguma parte para sua tradução. Senão, crie e ofereça um contrato e peça para que eles assinem. Se a empresa for grande, o responsável pela negociação terá de enviar o contrato para aprovação do setor jurídico, o que pode levar algum tempo.

Sob qualquer sinal de recusa do cliente a assinar o contrato, explique que não começará o serviço sem essa assinatura (e não comece).

Trabalhar sem contrato aumenta seu risco de não receber pelo serviço, demorar meses para receber o pagamento e dá margem para que seu cliente mude quando quiser o prazo e o tamanho do trabalho. Defina tudo isso no contrato e, se preciso, peça ajuda de um advogado ou de colegas que têm um modelo de contrato que possam compartilhar com você.

Quanto maior o valor do trabalho e mais urgente a entrega, maior deverá ser sua insistência em assinar um contrato.

Informações faltando

Se o cliente fornece informações do serviço com imprecisão e ainda assim quer fechar negócio, pode ser uma fria. Essas ofertas às vezes aparecem como:

“Tenho um documento de 2000 palavras que preciso traduzido em dois dias, quanto você cobra?”

Nesse caso, você não sabe a natureza do documento, o estilo da escrita (técnico, jurídico, casual) e nem se o documento contém um texto corrido com 2000 palavras no total, várias frases avulsas que somam 2000 palavras, ou se é uma lista com 2000 palavras escritas individualmente em uma planilha. Seu trabalho irá demorar mais em um caso e menos nos outros, e por isso sua cobrança também deverá ser diferente.

Exija o máximo de informações que o cliente pode oferecer. Se for um documento, vídeo ou material confidencial, solicite uma foto ou demonstração de um trecho do material e se disponha a ler e assinar um contrato de confidencialidade fornecido pela empresa. 

Se ainda assim não for possível receber parte do material de antemão, peça todas as explicações que achar importantes sobre o material antes de fazer o orçamento e fechar negócio. Se o cliente mantiver uma descrição genérica e se recusar a explicar o conteúdo do material, prefira recusar o trabalho ou conversar mais com o cliente para entender seus motivos.

Pagamento por contagem de palavras do documento traduzido

É extremamente raro, senão impossível, que um cliente sério te ofereça um pagamento pela contagem de palavras do documento traduzido ao invés do documento original.

Qualquer outra proposta de pagamento que te impossibilite de calcular o preço do trabalho antes de começá-lo também se enquadra nessa categoria.

Nenhum tradutor consegue prever quantas palavras o documento final terá, o que torna impossível orçar um trabalho nessa modalidade. Como a prática de fazer um orçamento depois de um trabalho pronto não existe, você deve convencer seu cliente a negociar o valor pela contagem de palavras do documento original.

Se ele se recusar, recuse o serviço e não indique colegas.

Pagamentos que demorem mais de 60 dias

Sempre converse com seu potencial cliente o prazo para o pagamento pelo serviço. Um tempo muito comum é até 30 dias após a entrega, mas há clientes que podem demorar até 60 dias.

Prazos de 90 dias ou mais são incomuns. Se receber uma proposta dessas, leve em consideração a reputação do cliente no mercado antes de aceitar. Se possível, tente negociar para encurtar o prazo para 60 dias.

Pagamento condicional

Toda proposta que não inclua um valor fixo pelo serviço prestado é arriscada.

Em traduções literárias, escritores em início de carreira às vezes oferecem uma porcentagem das vendas do livro traduzido como forma de pagamento futura para quem traduziu, sem pagar nada de antemão. Pessoas em outras áreas podem acabar oferecendo algo semelhante.

O lado bom desse tipo de oferta é que ela é sincera, e quem traduz sabe que pode não receber nada pelo serviço. Avalie bem o alcance do cliente na língua original do trabalho e veja se há potencial de crescimento no país da língua de chegada. Mas em geral, vá com a mentalidade de recusar e, se você ainda assim tiver algum interesse em aceitar, tente negociar um valor fixo um pouco menor do que o usual e adicionado à comissão.

Lembre-se que se alguém vai lucrar com seu trabalho e você não é pago, você não fez trabalho voluntário, mas trabalhou de graça.

Como verificar a seriedade de clientes

A rede de tradutores ProZ.com oferece um serviço chamado Blue Board. Ele é uma base de dados de agências de tradução e outras empresas com avaliações e comentários de tradutores que já trabalharam para elas.

Qualquer um com uma conta no ProZ pode acessar o Blue Board e fazer uma busca por um nome de uma empresa. Se outros tradutores já falaram sobre ela, ela terá uma nota e comentários sobre como foi trabalhar com a empresa. Preste atenção na cor da borda da nota, pois o próprio ProZ te indica se a média das avaliações é boa, regular ou ruim.

Como regra, evite empresas com notas vermelhas, tome cuidado redobrado com empresas com notas amarelas e mantenha seus procedimentos padrões com empresas de notas verdes.

Deixe uma resposta