fbpx

Translators101 Newsletter #1

Translators101 Newsletter #1

A primeira Newsletter da Translators101 já vem no formato que deve agradar todo tipo de leitor-tradutor. Ela será separada em textos para ler agora, para pensar e para se engajar.

 

Textos para agora são uma leitura rápida e direta, como curiosidades ou notícias sobre o mundo da tradução e interpretação.

 

Textos para refletir são leituras um pouco maiores, mas que podem ser levadas para suas rodas de colegas e amigos tradutores para começar trocas sobre experiências e conhecimentos de cada um. Por que o mundo da tradução funciona como funciona? Como chegamos até aqui e como será o futuro?

 

Textos para se engajar são leituras ou ações que precisam de mais dedicação de tempo. Podem ser cursos de tradução e escrita, livros, concursos de tradução e palestras. O objetivo da Translators101 é incentivar os tradutores iniciantes a estudar, experimentar e colocar a mão na massa.

 

Para agora

E se você ensina algo errado à máquina?

 

Um suposto erro fez com que o Google Tradutor traduzisse a frase “sou brasileiro e vivo em São Paulo” para o espanhol como “busco una mujer que le guste el sexo” (“busco uma mulher que goste de sexo”). O erro foi visto por alguns usuários no Twitter e confirmado pelo site Techtudo. Em nota ao TechTudo, a Google respondeu que sua ferramenta aprende traduções com “milhares de exemplos de traduções vistas na web” e que algumas delas podem não ser as melhores. Até o momento da redação desse newsletter, essa tradução mudou para “soy un chico que me gusta mucho”.

O TechTudo também diz que alguns usuários podem ter feito isso, já que o Google Tradutor permite que os usuários sugiram traduções para palavras e frases.

Leia mais no TechTudo.

 

Hugo, o intérprete de Libras da internet

A companhia aérea Azul adicionou um intérprete virtual de Libras em seu site. O intérprete Hugo é um personagem que permite ao usuário selecionar qualquer texto do site para que ele o interprete em Libras. O serviço é fornecido pela empresa HandTalk, que adapta sites de todo tipo para surdos e mudos. Sites como o da Cevejaria Colorado e da Bayer Brasil também pegam Hugo emprestado, mas só a Azul colocou um uniforme da empresa nele. A empresa ProDeaf WebLibras também oferece esse serviço.

Leia mais em Mercado & Eventos e visite o site da Azul para ver Hugo.

 

Para refletir

Escritoras mulheres são menos traduzidas. Por quê?

 

A jovem norte-americana Meytal Radzinski lidera um projeto há cinco anos que busca incentivar a leitura de livros de autoras estrangeiras traduzidos para o inglês. Esse projeto, chamado Woman in Translation Month, também mostra que as autoras estrangeiras são menos traduzidas e, quando são, têm menos visibilidades que traduções de autores homens. Só um terço das obras traduzidas para o inglês são de autoras mulheres. Até vencedoras do prêmio Nobel de literatura só tiveram suas obras traduzidas para o inglês depois de ganhar o prêmio.

Mas de quem é a culpa? Meytal aponta em especial o sexismo de editores, que desprezam obras de mulheres.

O mundo da tradução brasileira é cercado de mulheres, mas quantas já puderam traduzir obras literárias de mulheres? Quantas mulheres estão chefiando editoras de livros e agências de tradução? Onde deve começar o movimento para que mais autoras sejam traduzidas, seja para qual idioma for?

Infelizmente, o projeto de Meytal ainda não parece ser o suficiente sozinho. Não houve avanços significativos nos números de traduções de autoras mulheres desde a criação do projeto, em 2014.

Leia mais em Nexo.

Meu cliente me trocou por uma máquina!

Uma matéria da Folha de São Paulo discutiu um relatório feito pela empresa Taus, que foi publicado no fim de agosto. O relatório indica que 99 por cento das traduções são feitas com o auxílio de um computador, o que não é surpresa para tradutores acostumados com as inúmeras Computer-Assisted Translation Tools. Mas até que ponto nós tradutores atuaremos nas traduções no futuro? Já sabemos que há não-clientes que usam o Google Tradutor sem peso na consciência na hora tentar de expandir seu alcance pelo idioma, mas há clientes que entendem do mercado e que estão dispostos a pagar para máquinas muito bem treinadas traduzirem seus textos e deixar a revisão a cargo dos tradutores.

 

Seremos só revisores de máquinas no futuro? Seremos seus adestradores? Ou será que o medo de perder espaço e emprego para uma tecnologia nova é só mais uma previsão apocalíptica de quem tem medo de mudanças?

Ainda assim, como devemos nos preparar e o que devemos aprender para esse futuro da tradução?

Mais opiniões em Folha.

 

Para se engajar

ProZ Translation Contests

A rede de tradutores ProZ tem uma área dedicada a concursos de tradução de textos curtos para diversos idiomas. Esses concursos são criados por e para tradutores cadastrados na ProZ e servem para que os tradutores possam treinar suas habilidades de tradução em diferentes áreas e tipos de texto por diversão. As traduções são revistas e avaliadas por outros integrantes da comunidade, que escolhem os vencedores para cada par e direção da tradução.

Se você está procurando uma oportunidade para explorar outras áreas da tradução de forma prática e voltada ao aprendizado, os ProZ Translation Contests são um bom ponto de partida. Se você já sentiu que seu texto estava traduzido “errado” pois alguém sugeriu algo diferente, essa é uma ótima oportunidade de comparar os seus textos com o de outras pessoas e descobrir que existe uma diferença grande entre uma tradução errada e uma tradução diferente.

Mais detalhes em ProZ.

 

The Writer’s Workbench: 50 Tools You Can Use

Esse curso curto e gratuito criado por Roy Peter Clark tem 50 dicas valiosas para qualquer um que escreve textos, em especial em inglês. Mesmo que você trabalhe mais com tradução do inglês para o português ou até com outro par de idiomas, essas dicas podem ser adaptadas.

Se você não tiver espaço para usar essas ferramentas nas traduções, aprender a reconhecer quando o autor original as usou pode te ajudar a manter a mensagem traduzida mais fiel ao impacto e significado da original.

Elas são ferramentas que podem ser usadas para deixar os textos mais claros, concisos ou interessantes. Mas lembre-se de ver se a sua situação permite que você use essas ferramentas. Não é uma boa ideia tentar apertar uma porca com um martelo.

Mais detalhes em NewsU.

Deixe uma resposta