fbpx

Translators 101 Newsletter #11

 

Translators101 Newsletter #11 – 5 coisas que beneficiam a carreira de um tradutor iniciante

 

Mais uma vez trazemos um texto original na newsletter da Translators101.

Quem entra no mundo da tradução tem dificuldades de saber quais são os melhores passos a se tomar para se estabelecer no mercado. Não há um padrão de experiência, educação ou qualificação exigida por todos os clientes da forma que há em outras profissões que exigem graduação na área. Também não há um Conselho Regional que torna um tradutor apto a atuar com traduções.

O ponto positivo é que, assim, há mais de uma forma de alguém que está começando a traduzir se qualificar para clientes e se tornar um tradutor de confiança no mercado. Há passos e investimentos arriscados, mas há outros que, se tomados por um tradutor iniciante com bom senso, sempre trarão bons frutos.

Veja cinco iniciativas que só irão beneficiar sua carreira como um tradutor iniciante.

 

Fazer um curso

O estudo guiado por professores é a forma mais eficiente e garantida de aprendizado. É possível se tornar um tradutor de sucesso sendo autodidata, mas o caminho será mais demorado e difícil. Ter professores experientes na tradução te ensinando técnicas, novidades e respondendo suas dúvidas com um material específico da área te fará aprender em pouco tempo o que você levaria semanas e meses para aprender com tentativa e erro sem instruções.

Se você pensa em fazer uma graduação, a área de Letras é uma ótima possibilidade. Se você já tem uma graduação, há cursos de pós-graduação em tradução tanto presenciais quanto à distância. Se tiver interesse em cursos livres, também há boas opções disponíveis com duração de um a dois anos de curso.

 

Ir a congressos e encontros de tradutores

Cursos te darão um conhecimento teórico para ser aplicado na prática, mas ir a congressos e encontros te permitirá trocar informações sobre suas experiências práticas com outros colegas tradutores. Apresentações em congressos como o da Associação Brasileira de Tradutores e Intérpretes são feitas por tradutores que explicam os detalhes importantes de sua prática, que quase sempre podem ser aplicadas diretamente ou adaptadas para a atuação profissional de cada espectador.

Outros encontros regionais e um pouco mais informais de tradutores, como Barcamps, são uma ótima oportunidade de conhecer mais colegas e trocar experiências com eles. Sempre existe alguém para contar uma história sobre seu último trabalho, ou para te dar dicas de como conseguir e manter clientes. Todo contato com outros tradutores para trocar experiências profissionais é válido e irá te beneficiar.

 

Trabalhar com colegas

E quem procura colegas de profissão para trocar experiências, acha colegas de trabalho. Sempre é possível encontrar profissionais que buscam outros tradutores para ajudá-los em projetos grandes demais para uma só pessoa. Pode haver outras pessoas que também estejam começando na carreira e queiram montar um projeto para apresentar para um novo cliente, e você pode participar disso.

Trabalhar com colegas quando se é iniciante é uma das experiências mais positivas que um tradutor pode ter. A troca quase simultânea de opiniões e sugestões no decorrer do trabalho enriquece todos os lados, e o equilíbrio entre os pensamentos de “só meu colega ia conseguir pensar nessa solução!” e de “mandei bem na sugestão!” podem vir nas doses ideais para que você entenda seus pontos fortes na tradução e os pontos que você precisa aperfeiçoar no futuro.

 

Trabalhar em projetos voluntários (se ninguém for ganhar dinheiro às suas custas)

Uma dificuldade grande de tradutores iniciantes é conseguir trabalho, muitas vezes porque é preciso experiência profissional para conseguir um trabalho mas é preciso trabalhar para conseguir experiência profissional. Alguns tradutores então investem seu tempo em traduções pelas quais não serão pagos, ou não serão pagos diretamente.

Traduzir voluntariamente é uma ótima oportunidade de praticar e se aperfeiçoar, e nós recomendamos que você faça isso. No entanto, lembre-se de ver as condições do trabalho voluntário. Se a pessoa que ofereceu o serviço vai lucrar com seu trabalho, o mais justo é que você receba algum tipo de pagamento por isso. Não trabalhe de graça se a falta de pagamento para você só irá encher ainda mais o bolso de outra pessoa.

Trabalhos plenamente voluntários costumam ser feitos para ONGs e outros grupos sem fins lucrativos.

Mas na área literária, por exemplo, há autores pequenos e independentes que oferecem uma porcentagem do valor da venda de seus livros para o tradutor como pagamento pelo serviço. Apesar de ser um pagamento condicional, pode ser interessante para o tradutor iniciante se houver algum tipo de contrato ou garantia do pagamento da porcentagem no futuro.

Sempre use o bom senso para não ser enganado.

 

Investir em uma marca pessoal

Tradutores que investem tempo em criar bons currículos, portfólios, perfis profissionais em redes sociais como Proz e LinkedIn têm mais facilidade de se apresentar para potenciais clientes. Ter informações atualizadas sobre sua atuação profissional sempre à mão para apresentar a outras pessoas te ajuda a ter mais visibilidade no mercado e a ser encontrado por clientes e outros colegas.

Todo tempo que você usar para fazer um currículo organizado, atualizar seu LinkedIn, incluir suas experiências no Proz com um pequeno portfólio e até para padronizar seus endereços de redes sociais e emails te ajudará a se estabelecer como tradutor profissional.

Esses tópicos são todos recomendações. É possível progredir na carreira sem eles, mas quem estiver disposto a trabalhar nesses tópicos poderá ter mais visibilidade e chance de progredir com mais rapidez com mais qualificação e experiência profissional.

Trabalhe nesses tópicos aos poucos, com bom senso, e colha os benefícios para sua carreira.

 

Deixe uma resposta