fbpx

Como calcular a produtividade e cumprir prazos

Uma das coisas mais importantes na vida de um tradutor, seja editorial ou não, é aprender a calcular sua produtividade. Só assim você vai saber se consegue cumprir os prazos propostos pelo cliente – no nosso caso, a editora.

A tradução editorial costuma ser cobrada por lauda (expliquei o que é lauda e como calcular no artigo “Como entrar no mercado”). Algumas editoras pagam por página do livro original, mas é bem raro isso acontecer. Outros tipos de tradução (técnica, de manuais, folhetos etc.) costumam ter uma cobrança por palavra, mas não é assim que as editoras pagam.

O que preciso saber?

Você precisa saber quantas laudas, palavras ou páginas do original consegue traduzir em um dia para avaliar se o prazo é viável. E, para isso, é preciso saber como calcular sua produtividade.

Também precisa definir se vai trabalhar em feriados e fins de semana. Algumas pessoas optam por não trabalhar nesses dias para poder curtir a família, já que os cônjuges e os filhos costumam estar ocupados durante a semana, enquanto estamos trabalhando, e têm uma folga nesses dias.

Se o prazo não for viável, avise logo à editora. Faça uma contraproposta e apresente um prazo viável para você. Negocie sempre! Não tenha medo de negociar. O que não podemos fazer é aceitar um prazo inviável e depois, na última hora, dizer que não deu (assim mesmo, no passado). Muita gente faz isso, e os editores odeiam. E com muita razão!

Se pensarmos na produção do livro como uma cadeia de produção industrial, se uma etapa falhar ou atrasar, as etapas seguintes também vão atrasar, e o lançamento do livro não poderá ser finalizado e distribuído no prazo que a editora planejou.

Lembre-se que, depois da etapa de tradução, a editora ainda precisa cumprir outras etapas: preparação do texto (cotejo da tradução com o original, para confirmar se não houve nenhum salto de tradução ou algum engano na tradução), confirmação das alterações feitas na preparação, revisão, confirmação das alterações feitas na revisão, diagramação, revisão final e confirmação das alterações feitas na revisão final. Ufa!

Só então o livro vai para a gráfica para ser impresso e distribuído. Se uma dessas etapas atrasar, imagine só o caos dos atrasos subsequentes! Se você avisar que vai atrasar, a editora consegue renegociar os prazos das outras etapas e se organizar dentro desse novo prazo.

Imprevistos… e agora?

Claro que existem imprevistos: podemos ficar doentes, por exemplo, ter uma emergência e atrasar por motivos alheios à nossa vontade. Isso é normal.

O que você pode fazer, nesses casos, é tentar compensar o atraso acelerando a produtividade em outros dias, diluindo as laudas que deveria ter feito no dia em que ficou doente por outros dias ou, se achar que realmente não será possível terminar no prazo, avisar à editora com antecedência. Não dá para chegar no dia do prazo e dizer “olha, não deu, sinto muito”. O ideal é avisar com pelo menos uma semana de antecedência. Assim o editor consegue se programar e avisar aos colaboradores das etapas seguintes ou recalcular os prazos de produção do livro.

Caso: Muito tempo atrás, indiquei uma pessoa para uma editora. Essa pessoa ia traduzir um livro de uma área que eu não domino, por isso não aceitei a tradução. Alguns dias depois do prazo combinado, a editora me mandou um e-mail avisando para eu não indicar mais aquela pessoa, pois no dia combinado para a entrega do livro, o tradutor não tinha nem começado a traduzir.
Isso é mais comum do que a gente pensa. Algumas pessoas até somem durante meses, não respondem e-mails, não atendem telefone, e depois reaparecem meses depois com o livro traduzido. Esse é o melhor jeito de se queimar com uma editora.

Testar, esse é o segredo!

Você só consegue saber sua produtividade na prática. Não dá para imaginar que vai conseguir fazer uma quantidade x de laudas por dia. O negócio é se sentar e testar. Pegar um texto e sair traduzindo para analisar quantas laudas ou palavras você consegue traduzir no prazo de y horas que você pretende trabalhar por dia.

Se você não quiser fazer um teste de quantas palavras traduz em um dia, é possível calcular a produtividade traduzindo durante uma hora e multiplicando pela quantidade de horas que pretende trabalhar por dia. Se você traduz 1.000 palavras por hora e pretende trabalhar oito horas por dia, sua produtividade diária é de 8.000 palavras.

Lembre-se que alguns textos são mais simples e fáceis e outros são mais complexos e difíceis de traduzir. E que alguns textos exigem mais pesquisa que outros.

Tudo isso é importante na hora de calcular sua produtividade e a viabilidade do prazo. Sempre peça para dar uma olhada no original para avaliar se é um texto simples ou complexo e se você será capaz de manter sua produtividade normal com esse texto.

Não avalie apenas a primeira página do livro! Dê uma olhada no início, no meio e no fim. Não precisa ler o livro inteiro, lógico, só dar uma olhada mesmo. Pode ser que o livro seja um romance que, lá pelo meio, tenha um jogo de beisebol, por exemplo. E aí você vai precisar pesquisar vários termos de beisebol, o que pode gerar um atraso inesperado.

Tenho que acordar cedinho para ser produtivo?

Em que momentos do dia sua produtividade é mais alta? Cada pessoa tem seu ritmo e seu pico de produtividade em horários diferentes. Muitas pessoas produzem melhor de manhã, outras à tarde, à noite, de madrugada. É importante identificar seus picos de produtividade.

Defina sua rotina! Cada tradutor tem uma rotina diferente. Tem gente que acorda, toma um café e já se senta na frente do computador e começa a trabalhar. Se eu fizer isso, o texto vai ficar horroroso, porque meu cérebro só começa a funcionar depois de um banho.

Caso: Minha produtividade é sofrível de manhã, por isso prefiro fazer exercícios de manhã, tomar banho e só depois me sentar para começar a trabalhar. Produzo muito mais à tarde, depois do almoço. Só paro quando os olhos cansam (ou o cérebro). Lembre-se que tudo isso entra no cálculo da sua produtividade.

Uma ajudinha para sua concentração

Se você ainda não conhece a técnica pomodoro, não sabe o que está perdendo! Alguns estudos indicam que o cérebro humano só consegue se concentrar totalmente durante 25 a 30 minutos. Depois disso, a tendência é perder o foco e começar a procrastinar. A técnica pomodoro ensina que você deve trabalhar sem nenhuma distração durante esses 25 a 30 minutos e descansar durante 5 a 7 minutos.

Essa técnica ajuda demais na produtividade, já que não é bom procrastinar no horário de trabalho. Alguns programas de produtividade até bloqueiam redes sociais e outros sites no computador, para você se concentrar totalmente no trabalho. Afinal, quem nunca foi pesquisar uma palavra no dicionário e se perdeu nas redes sociais ou vendo vídeos de gatinhos, não é mesmo?

Dica importante: Nunca entregue suas traduções sem revisar! Calcule o prazo já deixando alguns dias para revisar a tradução. Com a experiência, você vai descobrir de quanto tempo precisa para revisar cada livro, quantas páginas consegue revisar por dia.
Alguns tradutores deixam para resolver pepinos na etapa de revisão, o que gera uma demora maior nessa etapa. Eu costumo pesquisar tudo durante a tradução para não ter muitos pepinos para resolver na etapa de revisão. Mesmo que o livro seja urgente, não deixe de revisar. Já vi gente recomendando que a etapa de revisão pode ser deixada de lado quando o prazo é curto. Não faça isso! Sempre revise seu texto antes de entregar.

A temida deadline. Tia Dédi, pros íntimos

Como faço para calcular meus prazos? Tenho uma planilha que calcula automaticamente quantas páginas do original eu preciso traduzir por dia. Como funciona? Assim que recebo os livros para traduzir, deixo todos os documentos com o mesmo tamanho de fonte e a mesma margem. Assim tenho uma ideia de quantas páginas do original sou capaz de traduzir por dia. Claro que não é um número exato e rígido, pois cada página do original tem uma quantidade diferente de texto, mas eu já me acostumei a traduzir mais ou menos X páginas com fonte Cambria 12 e margens de 2cm em cada lado por dia.

Planilha? Mas eu sou de Letras!

Como funciona a tal planilha? Logo no início da planilha eu coloco a quantidade de páginas do original. À esquerda, os dias de trabalho até um pouco antes do prazo, para dar tempo de revisar antes de entregar. A planilha divide automaticamente o número de páginas do original pelo número de dias que faltam até o prazo.

No exemplo a seguir, tenho 20 dias para traduzir 200 páginas do original, ou seja, preciso traduzir 10 páginas por dia até o prazo estabelecido.

Digamos que eu traduza um pouco mais ou um pouco menos em determinados dias. A planilha recalcula a quantidade de páginas que precisarei traduzir até o prazo. Por exemplo:

Assim eu sempre sei quantas páginas preciso traduzir diariamente. E sei que, se traduzir menos num dia, vou ter que traduzir mais nos dias seguintes. Fica mais fácil de me organizar para não perder o prazo combinado com a editora. Já falei que prazo é importante?

Na parte direita da planilha, tenho outro cálculo automático: o valor a receber por aquele livro. Digamos que a contagem final de laudas, depois que a tradução está pronta, seja de 220, e que o valor combinado com a editora foi de R$28,00 por lauda de 2.100 caracteres.

A planilha já calcula quanto vou receber por aquele livro. Basta inserir o valor da lauda e a quantidade de laudas do livro e a planilha calcula o total a receber.

Se você é nosso assinante Premium, essa planilha está disponível em nossa área de Recursos. É só baixar!

Agora que você já sabe como calcular sua produtividade para não perder nenhum prazo, mãos à obra! Boa sorte!

Confira mais dicas sobre produtividade neste post da Laila Compan no Instagram e também no Blog do Tradutor Iniciante.

Cláudia Mello Belhassof

Comments

  1. Ótimo artigo, Claudia! Bel explicado, claro e objetivo. Já vou indicar!

Deixe uma resposta