Entrevista: as oportunidades e características do mercado da localização de games

Data de publicação: 28/03/2022, 09:54

 

A localização de jogos eletrônicos é uma área que ainda é considerada um pouco misteriosa por muitos colegas tradutores que atuam em áreas mais “tradicionais” como a tradução jurídica, a literária e a acadêmica. Mesmo assim, considerando a popularização e a expansão das plataformas de games (desde jogos para consoles como Playstation e Xbox, passando pelos jogos de computador e até mesmo games para plataformas móveis), é importante saber que essa é uma área cada vez mais rentável e cuja demanda só tende a crescer. 

Veja alguns dados: Em 2020, a receita global do mercado de jogos eletrônicos chegou a 155 bilhões de dólares; para 2025, a projeção é que essa cifra suba para 260 bilhões, em uma indústria que, por si só, já é maior que a soma dos setores de filmes e música, de acordo com este artigo da Investopedia — https://www.investopedia.com/articles/investing/053115/how-video-game-industry-changing.asp 

A situação também é promissora para os tradutores especializados em localização de jogos para o português brasileiro. No Brasil, 3 em cada 4 pessoas jogam videogames, e 1 em cada 3 brasileiros se consideram jogadores “hardcore”. Muitos jogadores brasileiros exigem que seus jogos estejam localizados em PT-BR, desde os games casuais de celular até os jogos de alto orçamento (conhecidos como “AAA” no jargão do mercado). Os dados são da Ark One Studios, assim como o gráfico abaixo: 

 

 

Você pode conferir mais detalhes do mercado de localização de jogos no Brasil indo direto até a fonte: https://arkonestudios.com/a-promising-market-to-localize-vg/  

Ainda não se convenceu do potencial da área? Considerando a questão da pandemia da Covid-19 e seus impactos na demanda por tradução de games, há um artigo muito interessante sobre o boom da localização que aconteceu nesse período. Você pode acessá-lo diretamente no site da Blend: https://www.getblend.com/blog/gaming-localization-boom-covid/ 

 

A partir dessas informações, nós convidamos dois colegas que atuam na área de localização de games para falar um pouco do mercado, dos desafios e do trabalho que fazem nessa área: Agnes Vitória de Carvalho e Horacio Corral. São colegas bem talentosos e com vivências bem interessantes nessa área da tradução. 

 

Duas feras da localização de games!

 

obre localização de games que estão gravadas e disponibilizadas aqui na plataforma até a data da publicação deste artigo: 

 

Se você ainda não é assinante, aproveite para conhecer os benefícios da assinatura Premium (são vários!) e investir na sua educação continuada. Conheça a Translators101 • Uma Netflix para tradutores e intérpretes! 

 

Os entrevistados: 

 

Rook: Vamos conhecer a Agnes e o Horacio. Falem um pouco sobre suas carreiras, como se tornaram profissionais de localização de games, algumas das empresas para as quais trabalharam e alguns dos trabalhos mais representativos na área de games.

Agnes: Oii! Meu nome é Agnes, sou formada em Letras: Português-Inglês pela UFRJ e atuei como revisora e tradutora (EN>PT-BR) durante 1 ano e 4 meses na empresa Higgs Technology Co., Limited, responsável pelo aplicativo Romance Fate. Também atuei na empresa Litero, como revisora de textos. Possuo certificação pelo curso Brasillis em Tradução para Jogos e diversos outros cursos relacionados aos aspectos da tradução. Atualmente estou trabalhando para a Elite Asia, mas [o trabalho] não está relacionado a jogos.

Horacio: Eu trabalhava com tradução, versão e versão dupla de textos técnicos e, às vezes, literários. Sempre gostei de games, mas até 10 anos atrás o mercado brasileiro de desenvolvimento ainda era muito pequeno. Foi com o crescimento dos jogos mobile, e principalmente os projetos financiados por meio crowdfunding, que a pequena indústria brasileira ganhou fôlego — e eu, minha primeira oportunidade remunerada. 

Agnes: Algumas das histórias traduzidas por mim: Hot News, Under Audit, Wings of Light, Hold Me Till The Rain Stops, Escaping Me, Romance in Vampireland, Sing For Me, Submitting to Desire, Miss Perfect e Second Time's The Charm. São histórias românticas nas quais você pode escolher o destino de sua personagem. Muitas incluem elementos de fantasia, mas outras são mais realistas, romances mais “pé na terra”. Cada ação sua afeta o andamento da história e o final é decidido por você à medida que vai jogando. Tem muito drama e elementos NSFW (Not Safe For Work, que contém conteúdo adulto)  (risos), então é para um público majoritariamente feminino e adulto. Acho muito parecido com fanfiction, que é uma coisa que eu adoro desde adolescente!

Horacio: Comecei a trabalhar com localização de games no projeto do jogo Soul Gambler da Mother Gaia Studio, um projeto financiado em 2015 utilizando a plataforma norte-americana Kickstarter. Desde então eu me aproximei da comunidade de desenvolvimento de jogos no Brasil e trabalhei em vários pequenos projetos. Minha principal colaboração é com o estúdio Joymasher, um dos principais estúdio independentes do Brasil. Trabalhei nos jogos Oniken e Odallus. O projeto que eu mais gostei de trabalhar foi um RPG tático por turnos muito bem escrito e divertido de se jogar. Será relançado para os consoles por uma distribuidora internacional. Por uma questão de confidencialidade, não posso dizer (ainda) qual é o jogo.

 

Wings of Light - Um dos games localizados pela Agnes

 


O mercado

 

Rook: Como você vê a situação do mercado de localização de jogos atualmente, tanto nos mercados AAA quanto em outros nichos (jogos para celular, retrogames, etc)?

Horacio: É um mercado em expansão. Com a popularização dos e-sports, graças a League of Legends, Call of Duty e Fortnite, e a chegada de conceitos como criptomoedas e NFTs, a velocidade da expansão deve aumentar — e muito. Aos poucos, grandes distribuidoras de jogos, tanto AAA quanto mobile, estão compreendendo a importância de ter uma atuação mais global. 

Agnes: Não tenho experiência com os jogos AAA, mas o mercado de jogos para celular está rendendo, principalmente com empresas chinesas. E não só jogos, mas aplicativos voltados para histórias mesmo, como fanfics. Acho que vale a pena se jogar nesse mercado se você gosta do estilo de narrativa. Quanto aos lugares para procurar vagas, confio bastante no bom e velho Linkedin. E, claro, procurar cursos especializados na área de games.

Horacio: Felizmente, o mercado consumidor brasileiro é grande e atraente para estúdios estrangeiros. O trabalho de localização de games vai muito além das palavras, e explicar isso é um dos maiores desafios dos profissionais de localização. Aspectos culturais, humor e preferências regionais são essenciais para uma boa localização. Cabe ao profissional de localização ajudar os estúdios a encontrar o caminho correto para criar um vínculo genuíno com o público local.

 

Soul Gambler - Um dos trabalhos de localização do Horacio.

 

Os localizadores e seus diferenciais

 

Rook: Quais são os diferenciais de um bom tradutor de jogos? O que um desenvolvedor (ou uma agência especializada em localização) leva em consideração na hora de contratar um tradutor de games (currículo, portfólio, indicação, testes, etc)?

Agnes: O tradutor de jogos tem que ser atento ao público. É um público jovem? O que eles gostam de ver? Reagiria bem a memes? Tudo isso é importante. Conheça seu público, pesquise o local onde você trabalha ou quer trabalhar e veja a parte de comentários. Ali se concentra tudo que você precisa saber. 

Horacio: A meu ver, o conhecimento do game (enquanto mídia) e o domínio da língua e cultura são essenciais. A capacidade de compreender os conceitos e ideias apresentados no game e expressar isso em uma nova língua e cultura de maneira clara são o objetivo do localizador de games. Você pode ter algum conhecimento sobre games e a língua portuguesa, mas é apenas participando de projetos de localização na área que vai ganhar o conhecimento, a agilidade e a versatilidade esperados de um tradutor profissional de games. 

Agnes: Acredito que as agências prezam por currículo e testes. É importante revisar seu teste mil vezes mesmo. Se achar necessário, é bom até procurar ajuda especializada para que seu teste seja impecável. Se seu teste está perfeito, seu currículo está bem cuidado e seu portfólio está atualizado, as chances de sucesso são enormes.

Horacio: Para entrar nessa área, minha sugestão é simples: participe da comunidade. Conheça as pessoas, ideias e projetos. A maioria dos trabalhos vem por indicação e, para ser indicado, você tem que participar da comunidade e estar disponível no mercado.

 

Romance in Vampireland, outro game que faz parte do portfólio de traduções da Agnes. 

 

Conselhos, dicas e outras informações

 

Rook: Fiquem à vontade para fazer considerações finais, dar conselhos/dicas para pessoas que estão (ou querem entrar) na área de tradução de jogos, etc.

Horacio: A indústria de games é uma das mais inovadoras que há. Seja artisticamente ou nos negócios, a indústria sempre está procurando maneiras de explorar novas ideias e tecnologias. Eu cresci jogando videogame e sou fascinado por tecnologia, então, sempre gostei muito desta área. Se você gosta de inovação, tecnologia e cultura, está é uma ótima indústria para se trabalhar, já que a missão do localizador de games é tornar o jogo acessível para cada vez mais pessoas.

Agnes: Tudo se inicia na pesquisa. Não mande currículo sem antes pesquisar sobre a empresa e os jogos que possuem. Se possível, converse com os jogadores, entre nos grupos, faça parte. Pode instalar o jogo e mergulhar no mundo que você quer entrar. Não é bacana ser um tradutor desinteressado. Nossa essência é a curiosidade e a vontade de aprender. Portanto, encare como uma imersão num universo rico e entre com o coração aberto para se apaixonar por ele.

Horacio: É uma área que acolhe pessoas e projetos de todos os tipos e tamanhos. Uma indústria em crescimento. Portanto, se você gosta de games e quer trabalhar com isso: leia, assista, estude, faça cursos, crie pequenos projetos e desenvolva seu conhecimento. Comece pequeno, o mais importante é começar.

 

Curte games em estilo retrô? O Horacio localizou este!

 

Conheça melhor os nossos entrevistados! 

 

Rook: Hora do jabá! O espaço é livre para vocês divulgarem seus projetos, cursos e outras atividades. E, muito obrigado pela entrevista!

Agnes: Estou disponível para parcerias na área de tradução EN>PT-BR e revisão de textos! Caso tenham interesse, peço que entre em contato pelo meu e-mail [email protected]. Muito obrigada pelo espaço para dividir experiências! É com muito carinho que recebi a proposta [da entrevista] e fico aqui disponível para outras oportunidades <3

Horacio: Eu trabalho com livros há 15 anos. Assim como faço com os games, gosto de trabalhar na área de inovação e tecnologia. A partir dessas experiências criei uma editora de livros, digitais e impressos, e uma série de cursos tanto na área editorial quanto de games.

MERCADO EDITORIAL:

GAMES:

 

— Ivar Jr e Luciana Boldorini, Rook tradução.