Anunciando seus serviços: a arte de vender o seu peixe num mercado cheio de tubarões

Data de publicação: 13/10/2021, 13:44

Pronto! Decidi me tornar um(a) tradutor(a) e estou fazendo milhares de cursos para me especializar e ser ótimo no que faço. Certo, mas… como faço para anunciar meus serviços? 

Como me coloco no mercado? 

Como o mundo vai saber o que eu faço?

Será que é melhor usar a tecnologia ou anunciar à moda antiga?

 

Os tradutores recém-saídos das faculdades e cursos têm esse “desespero” inicial (e totalmente normal) sobre como entrar no mercado de trabalho e achar seu lugar ao sol.

São muitas as expectativas e caminhos e, como em outras profissões, o tradutor pode tomar vários rumos ao longo de sua carreira. Muitos tradutores preferem a segurança do trabalho com agências; outros abrem suas próprias empresas e muitos seguem como profissionais independentes. Mas e aí? Como se anunciar?


Redes sociais

 

Um caminho muito usado hoje em dia é o das redes sociais abertas e gratuitas. Por esse caminho, o mais aconselhável é seguir aquele conselho básico que os contadores sempre dão: separar a pessoa física da pessoa jurídica (mesmo que você ainda não tenha um CNPJ). 

Crie um perfil profissional para cada rede que você decidir usar para mostrar profissionalismo e credibilidade. Deixe seus assuntos pessoais, fotos de família, fotos de pratos gostosos e copos de cerveja para seu perfil pessoal e anuncie produtos, promoções e dicas em seu perfil profissional.

E o mais importante: saiba que categoria de cliente você pode conseguir em cada uma das redes em que decidir anunciar seus serviços.

 

Instagram

 

Quer marcar presença no Instagram? Ótimo! Mas a primeira coisa é saber que o Insta é focado na categoria de negócio B2C (Business to Consumer - de empresa para o consumidor). Ou seja: a probabilidade de você conseguir um cliente pessoa física é bem maior do que conseguir um cliente-empresa. É importante ter isso em mente se você escolher o Instagram como sua plataforma de comunicação. 

No Instagram é legal ter um perfil profissional separado, pois a partir dele você pode divulgar conteúdos simples e objetivos, agradando o público visitante e chamando atenção para possíveis trabalhos. 

Uma das vantagens de usar redes como o Instagram é que você nem sempre anuncia serviços diretamente. Um dos melhores usos do Instagram é para solidificar a sua reputação. Você pode usar essa rede para: 

  • Conseguir novos contatos.
  • Interagir diretamente com esses contatos.
  • Mostrar a sua “cara” para as pessoas.
  • Compartilhar dicas sobre o que é uma boa tradução ou como escolher um bom profissional, contribuindo com a comunidade ou com o público em geral.
  • Mostrar seus trabalhos, como filmes/séries que legendou, livros que traduziu, jogos que localizou, cursos que fez ou que está oferecendo, entre outros.

O importante no Instagram é ter uma bio (o nome dado ao cabeçalho descritivo de seu perfil) muito clara sobre quem você é e os serviços que presta. Se você tiver um site, perfis em outras redes ou outros meios de contato, é bom que essas informações estejam bem visíveis neste espaço. Na bio há espaço para incluir um link, mas há algumas maneiras de hackear essa limitação: é possível usar soluções como o Linktree (https://linktr.ee/) para acrescentar mais links de contato ou o Milkshake (https://milkshake.app/), um aplicativo que cria um micro-website otimizado para dispositivos móveis, com mais informações sobre você e os seus serviços. 

Além da bio, uma foto profissional bem iluminada que demonstre bem seu rosto, é um chamativo “plus”. Por quê? Por que estamos em épocas virtuais, mas trabalhamos com pessoas. São as pessoas atrás da tela que interessam aos contratantes. Você é o grande foco de seu futuro cliente. Claro que você pode usar a logo que criou para sua empresa, mas tente sempre aparecer nas fotos de suas publicações. Mostre fotos suas em eventos, cursos e outras atividades profissionais; assim haverá uma atenção maior ao seu lado profissional e ao cuidado que você tem com sua carreira.

Se você é assinante premium da Transtalors101, há uma palestra ótima sobre como tirar fotografias em casa, com o próprio celular, com uma qualidade quase profissional: 

Poste conteúdo relevante ao seu público (ou àquele que quer atingir) e peça para os amigos interagirem. Mostre seu trabalho, mas não esqueça de postar coisas que sejam úteis ou interessantes o suficiente para que as pessoas deixem comentários. Quanto mais interação, mais a inteligência artificial do algoritmo entende que você é alguém interessante. 

Mas, atenção! Lembre-se sempre de que este é um perfil profissional, então o conteúdo divulgado deve ser estritamente profissional. Deixe as fotos dos pets, dos(as) namorados(as), das baladas e as fotos familiares fora dessa!

 

Facebook


Dizem por aí que o Facebook está perdendo espaço para o Instagram e outras redes. Isso até tem um fundo de verdade, mas não cometa o erro de achar que o Facebook está morto!

Achou errado!

 

Segundo pesquisas (https://resultadosdigitais.com.br/blog/redes-sociais-mais-usadas-no-brasil/), o Facebook ainda lidera o mercado brasileiro em número de usuários, além de ser possível colocar textos mais longos e poder alcançar grupos específicos na rede, você pode criar uma fanpage

A fanpage seria sua página profissional que, assim como o Instagram,  pode ser colocados seus trabalhos e anunciar seus serviços, além de fotos profissionais e conteúdo para o público-alvo visitante.

Muitas dicas para o Instagram também valem para o Facebook: se é uma página profissional, mantenha o tom profissional! E lembre-se de que o Facebook também é uma rede B2C (business to consumer). Assim, se você anunciar seus serviços no Facebook, a probabilidade de conseguir clientes do tipo “pessoa física” são bem maiores do que fisgar um cliente-empresa. Construa sua reputação, faça contato com amigos e colegas de profissão, participe de grupos de discussão nas áreas em que você atua, mas fuja das tretas!

 

LinkedIn

 

Agora sim, estamos falando de profissionalismo! O LinkedIn é a rede social TOTALMENTE voltada para os profissionais. É uma vitrine de candidatos e perfis profissionais que podem ser muito bem explorados de duas formas diferentes. 

O primeiro jeito é você montar o senhor perfil profissional. Coloque todas as informações profissionais relevantes: formação, cursos adicionais, especializações, tudinho! 

“Ah! Poxa, mas eu não tenho experiência!” 

Não tem problema. Você pode colocar que está, inclusive, em busca de colocação profissional. Vale também colocar experiências pro bono que você realizou para amigos e familiares, assim como concursos nos quais participou. Quem visitar seu perfil terá a percepção de pró-atividade. É possível também adicionar selos como #opentobusiness ou #opentowork à sua foto de perfil (aquela bem profissional que falamos lá em cima).

O segundo meio é criando uma fanpage no LinkedIn como aquela que você tem no Facebook. Vale colocar certificados e pequenos textos também.

No LinkedIn há também uma área onde você pode procurar e se candidatar para trabalhos. Há filtros por região, categoria de trabalho e remuneração. Vale a pena dar uma olhada lá regularmente e também seguir páginas de grandes empresas — sejam aquelas com quem você gostaria de trabalhar ou, pelo menos, para saber o que se passa no mercado. Às vezes as empresas anunciam vagas como posts em seus feeds. Nenhuma oportunidade pode passar!

E se você for assinante premium da Translators101 e quiser saber se está usando o LinkedIn do jeito certo, tem uma palestra em duas partes da Karine Souto sobre essa rede:

Mas não esqueça: não existe almoço grátis em rede social. 

 

Mesmo com postagens lindas e profissionais e mesmo que você tenha um conteúdo relevante e que sirva de exemplo para outros colegas, não dá para ir muito longe nas redes sociais se você não investir uma grana na divulgação dos seus serviços. E aqui estamos falando de meter a mão no bolso mesmo! Muitos criadores de conteúdo reclamam que está cada vez mais difícil conseguir um “crescimento orgânico” e que só conseguem aumentar o alcance das suas postagens usando anúncios e impulsionamento pagos. Gostemos ou não, essa é a regra do jogo. Se você está disposto a anunciar seus serviços em redes sociais, prepare o cartão de crédito.

As redes sociais podem servir para anunciar seu serviço de forma paga e aumentar a visualização do seu perfil. O investimento começa bem baixo (em torno de R$ 6,00 para Facebook e Instagram) e você pode ir aumentando os valores conforme ganha clientes. Há uma área no Facebook chamada Business Suite. Por lá você controla suas postagens tanto no Facebook quanto no Instagram e pode impulsionar e controlar seus investimentos em divulgação e publicidade.


Um website próprio: seu aliado na busca por clientes maiores.

 

Fazer divulgação dos seus serviços em redes sociais, embora seja uma estratégia interessante, dificilmente vai render contatos (e contratos) com empresas de maior porte. Se você pretende atuar com clientes de maior porte, é necessário recorrer à artilharia pesada. E isso significa investir no seu próprio website

Investir, neste contexto, é algo que pode acontecer de duas maneiras: você pode investir seu tempo para aprender a criar e manter um website (e isso pode significar ampliar seu leque de serviços no futuro!), ou então abrir a carteira e contratar uma agência de comunicação ou um desenvolvedor para fazer isso por você. 

Crie um site profissional. Crie uma logo, defina a sua identidade visual, escolha a sua paleta de cores e mande bala! 

Se tiver uma reserva em caixa, peça orçamentos para saber qual é o tamanho do investimento. A imagem que você passar ao seu cliente é o que vai definir uma possível contratação. O website é a ferramenta que permite entrar no ringue dos pesos-pesados: mesmo que você trabalhe sozinho, as tratativas passam a ser de empresa com empresa. E isso contribui bastante com a sua imagem profissional. 

Um site mostra toda sua formação e trajetória, além do seu portfólio e meios de contato. E permite que você exponha as informações relevantes de maneira bem mais direta e personalizada do que nas redes sociais. 

E, se quiser ousar, ative a função de blog no seu website. É o seu espaço para escrever sobre suas experiências, “causos” interessantes que colecionou nos anos de trabalho ou expor sua opinião sobre questões relevantes do mundo e do mercado de tradução.

 

Para ser profissional, é preciso parecer profissional.

 

Uma dica importantíssima aqui é: TENHA UM E-MAIL PROFISSIONAL.

O que chamamos de “e-mail profissional”? O mais indicado é pagar um servidor ou domínio para ter um e-mail personalizado como [email protected] (ou qualquer outra extensão). E nem custa tão caro assim: um domínio próprio sai por R$ 40,00 por ano. Menos do que uma pizza, tradutor! 

Caso contrário, tente usar pelo menos o seu nome completo, ou iniciais @ algum provedor legal de email como o Gmail, Outlook ou Yahoo. Mas, POR FAVOR, não entre em contato com o seu cliente usando aquele e-mail da adolescência. Pode parecer piada ou brincadeira, mas ao longo desses anos já vimos cada coisa… 

Pode ter certeza: você não será levado a sério em nenhum âmbito se seu e-mail for [email protected] ou [email protected] .

 

O que mais você pode fazer?
 

Mande um e-mail pedindo um contato

Mande e-mails para seus prospects. Dependendo da área em que você quer trabalhar, faça uma pesquisa no Google buscando empresas que atuam na área desejada e mande um e-mail descrevendo os seus serviços e convidando-os para uma chamada de vídeo, que tal? 

Prepare-se para mostrar à empresa todo seu potencial, currículo e experiência.

 

Participe de grupos de tradução

 

Este é um jeito divertido e fácil de arrumar trabalhos. Sim, é! Nós não fazemos tudo em tradução e muito menos trabalhamos com vários idiomas. Ou seja, ter um bom networking em grupos de Whatsapp, Facebook, Telegram ou Discord vai te trazer somente benefícios. Quer ser lembrado? Ajude os colegas, tenha discussões bem embasadas, contribua para a sua comunidade profissional e não esqueça de mostrar o que você faz para os colegas! E, novamente, fuja das tretas! 

... e aí eu perguntei: Você passa o dia inteiro arrumando treta na internet? E sobra tempo para traduzir?

 

Participe de eventos

 

É óbvio que, com a pandemia da Covid-19 tivemos que interromper nossa participação física nos encontros, eventos e congressos, mas isso não quer dizer que eles pararam!

Temos vários Barcamps, Congressos, Encontros e muitos outros eventos acontecendo remotamente e muitas vezes gratuitamente. 

Os eventos são excelentes para se adquirir conhecimento, certificados e para fazer networking. Ser alguém que colabora, que traz ideias boas para a discussão, que contribui com a comunidade ou que faz perguntas relevantes, que demonstra conhecimentos relevantes na sua área de atuação pode, no longo prazo, resultar em indicações ou referências dos colegas para possíveis clientes.

 

E finalmente… 

Para resumir, existem inúmeras maneiras de “sermos vistos” no mercado e pelos clientes e, muitas vezes, gratuitamente. Isso é algo que só demandará mesmo tempo e dedicação. 

Tire um tempinho no fim de semana e assista a alguns vídeos no YouTube com dicas sobre como aumentar a visualização de suas redes sociais, por exemplo. Há dicas também sobre como usar páginas e aplicativos de edição como o Canva, que é gratuito e muito fácil de usar para criar posts para suas redes profissionais.

Grave vídeos e faça lives com dicas e outras contribuições. Com certeza as pessoas vão querer conhecer você e o que você faz. E ter uma boa reputação, como já foi mencionado no artigo excelente que a Val Ivonica escreveu aqui no blog da Translators101, é um dos principais pilares para ter relevância no mercado, conseguir novos clientes e pagar aqueles boletos que insistem em brotar todos os meses.

 

— Ivar Jr e Luciana Boldorini